29 março 2009

Se Deus é por nós, por que perdemos as batalhas da vida?


Essa é a pergunta que não quer calar, se Deus é por nós, por que sofremos as derrotas das batalhas da vida? Será Deus o culpado ou nossa teimosia e soberba? No livro de Deuteronômio 20.1-4, Deus deu a Moisés leis de como seriam as guerras contra as cidades inimigas e como deveriam agir e reagir. Será que temos obedecido à voz de Deus, ou temos agido por conta própria diante dos conflitos diários?Porque perdemos as batalhas da vida?

1º PERDEMOS QUANDO SUPERDIMENSIONAMOS O INIMIGO- No versículo 1 Deus fala através de Moisés dizendo que eles não deveriam temer os inimigos, mas hoje em dia tanto quanto naquela época temos o péssimo hábito de aumentar o tamanho dos nossos problemas e desafios. Uma simples gota num copo de água vira um tsunami. Você é assim?


2º PERDEMOS QUANDO ACHAMOS QUE FOMOS ABANDONADOS - Temos sempre essa sensação de que nos maus momentos Deus nos abandona, ou não consegue ouvir o nosso clamor, e no verso 1b diz: Pois o Senhor, nosso Deus, que os livrou do Egito, está com vocês. Temos essa promessa de que nos bons e nos maus momentos o Senhor sempre estará conosco, creia nisso, você nunca estará sozinho.


3º PERDEMOS QUANDO LUTAMOS CONTRA OS INIMIGOS ERRADOS - No verso 3 diz: "Israelitas, escutem o que estou dizendo! Vocês estão aqui para lutar contra os inimigos. Parece uma palavra óbvia, mas não é. Nossa maior luta e nosso maior inimigo somos nós mesmos, nossa teimosia, falta de fé, arrogância, egoísmo. Nossa luta deve ser contra o pecado que nos assola gerando todo tipo de sentimento contrário a Palavra de Deus. Você tem lutado contra os inimigos certos?


4º PERDEMOS QUANDO NÃO DEIXAMOS DEUS LUTAR POR NÓS - V.4- pois o Senhor, nosso Deus, está com vocês para lutar ao seu lado e salvá-los do inimigo. Sempre queremos assumir o controle colocando Deus em segundo plano ou como simples bóia de salvação. Ele precisa assumir o controle, a direção de nossa vida. Necessário é a rendição, total submissão para que não venhamos a sofrer as derrotas das batalhas da vida, que são intensas, mas não invencíveis, se fizermos uso da arma certa: JESUS.


Seja um vencedor, permitindo que Deus assuma o controle de sua vida e lute as suas batalhas, você consegue fazer isso. Davi conseguiu, Daniel conseguiu, Sadraque e seus amigos conseguiram e saíram vitoriosos.


Que Deus te abençoe e te guarde...


Pastor Pedrão

20 março 2009

Como vencer os obstáculos


Os obstáculos são uma parte intrínseca da vida. Enquanto vivos, enfrentaremos lutas; quando uma termina, outra se inicia. Só existe uma maneira de vencê-los, é enfrentando-os. Infelizmente, muitas pessoas não querem enfrentar os desafios da vida. Elas preferem empurrar os contratempos com a barriga, deixando os apuros para mais tarde, como se as dificuldades se resolvessem sozinhas. Na verdade, os problemas têm a tendência de se avolumarem com o passar do tempo; tornam-se piores, se não os enfrentamos.
Provavelmente, você está confrontando refregas agora mesmo. Muitos são os obstáculos que impedem a nossa caminhada para a vitória.
Obstáculos são algumas coisas aterradoras a princípio, mas que se tornam pequenas à medida que as enfrentamos.
Obstáculos podem ser apenas pedras no caminho, das quais nos desviamos ou usamos como alicerces para a vitória. Ou podem ser coisas intransponíveis que nos abatem e derrotam. Compreendê-los e aceitá-los como normais é crucial para vencê-los. Não se abata, enfrente os obstáculos. Você não pode mudar seu passado, mas as páginas do seu futuro estão em branco; escreva-as com a tinta da vitória.
Dr. Silmar Coelho

14 março 2009

14 de março - Dia Nacional da Poesia


Só Tu


Só Tu me fazes repousar segura,
angústia em bênção Tu tens transformado;
Misericórdia a quem não Te procura
e o ser perdido seja resgatado.


Ao que padece de vaidade e usura
e da injustiça faz o seu legado...
Dá-lhe, também, Senhor, Tua doçura,
porque só Teu amor bane o pecado.


Tanta alegria há no meu coração,
tanta fartura da luz do Teu rosto...
Como entender quem contra Ti murmura?


Em paz me deito e na minha oração,
contemplo o vale do sofrer transposto...
Pois Tu me fazes caminhar segura.


(Patrícia Neme)




Fonte: Poesia Evangélica

11 março 2009





Com alegria informamos que este blog foi indicado por Elizeu Antonio Gomes, editor do Blog Belverede, e por Catiane Canteiro ao prêmio Olha que Blog Maneiro! Agradecemos a indicação, que surge como um incentivo a continuar nos esforçando na tarefa de atualizações diárias, buscando sempre publicar o que sirva de edificação espiritual a todos.



Regras para receber o prêmio



1 - Exibir a imagem do selo "Olha que Blog Maneiro!", ao qual fui indicado(a);


2 - Postar o link do blog que me indicou;


3 - Indicar dez (10) blogs da minha preferência;


4 - Avisar meus indicados;


5 - Publicar as regras;


6 - Conferir se os blogs indicados repassaram o selo e as regras;


7 - Enviar a minha foto ou de um(a) amigo(a) para olhaquemaneiro@gmail.com juntamente com os dez links dos blogs indicados para verificação. Caso os blogs tenham repassado o selo e as regras corretamente, dentro de alguns dias você receberá uma caricatura em P&B.



Os blogs que indico são:


Te amo, meu Jesus

Adonai Kadesh

Abre meus olhos

Mulher Cristã

Rádio Pentecostal

Pb. João Gomes

Adonai Kadesh

Letras santas

Ev. Daladier Lima

Amenidades da cristandade



Três inimigos


Albergo três inimigos, três sentimentos que me espreitam nas esquinas das madrugadas: fracasso, impotência e culpa. Lido mal com as inadequações, sofro com a fraqueza e arquejo debaixo do peso dos erros.


As exigências sociais me deixam arfando. Fatigado, não me sinto apto. Sou calouro desafinado, buzinado nos poucos minutos da apresentação. Piso na bola à poucos metros da linha do gol. Gaguejo na entrevista. Tropeço em cadarços soltos. Não consigo subir os degraus da piedade. Continuo em falta com a divindade. Sou um constrangimento religioso. Depois de décadas, nada poupei para a velhice. Frustrei os anseios paternos. Constrangi mamãe em seus últimos dias de vida. Despedaço o ícone que fizeram de mim. Não dou vida ao mito. Anseio permanecer comum. Rasgo o simulacro da personagem que apresento nos palcos.


Admito a minha impotência. Dispo-me da capacidade dos ungidos. Não consigo decretar milagre. Fico sem encabrestar o meu próximo. Meus argumentos não passam de arrazoamentos inconvincentes. Nada me chega fácil. Aprendo devagar. Esqueço o que decorei. Não me antecipo aos incidentes. Não controlo o porvir. Desconheço a saída do labirinto.


Os erros passados me aterrorizam. Sou melancólico. Pressinto que transgredi a lei, maculei a eternidade, constrangi estatutos infinitos. A maldade dos outros é mínima; sou pior. Os erros dos outros, irrelevantes; sou pior. Cabisbaixo, procuro a penitência mais adequada para o meu pecado.


Depois de admitir-me fracassado, impotente e culpado, faço as pazes com a minha alma. Pergunto: quem estabeleceu uma régua para eu me medir? Quem me outorgou o mandato de controlar as variáveis incontroláveis do universo? Qual o sentido deixar que a culpa me atole na lama da autocomiseração?


Não preciso desempenhar para ser precioso. Não preciso manipular para experimentar liberdade. Não preciso ser perfeito para despistar o remorso. Levanto a cabeça. Sei que o meu valor não depende de alcançar a perfeição. Pisoteio o fracasso, desdenho a impotência e faço da culpa uma aliada para recriar o futuro.


Soli Deo Gloria



Fonte: http://www.ricardogondim.com.br/

Pedido de desculpas...

Perdoem-me pela ausência. Estava impossibilitada de acessar a net. Mas voltei.